Boletim Mensal No.3

Olá a todos!

Neste mês iniciamos o processo de contratação da consultoria para elaboração do Plano de Ação Nacional (PAN) Territorial Planalto Sul para conservação das espécies ameaçadas de extinção. O plano será realizado sob coordenação da equipe de trabalho do Instituto do Meio Ambiente (IMA-SC), da Secretaria do Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS-SC) do estado de Santa Catarina e da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura do Rio Grande do Sul (SEMA-RS).
 
O PAN Territorial Planalto Sul será voltado para espécies categorizadas como Criticamente em Perigo (CR) e que não possuem nenhuma estratégia de conservação como planos de ação ou registro de ocorrência em Unidades de Conservação.
 
Também no final do mês de março a equipe do Comitê Executivo do Projeto Pró-Espécies reuniu-se para apresentar a metodologia do PAN Territorial, elaborado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ), e para debater um refinamento com base na experiência do PAN Planalto Sul.

Por último, foi realizada a Missão de Supervisão GEF Pró-Espécies pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), agência implementadora do Projeto Pró-Espécies: Todos contra a extinção. 

Foram apresentados os resultados das atividades do primeiro ano dos componentes: 1. Integração de conservação de espécies ameaçadas em Políticas Setoriais; 2. Controle e prevenção da caça, pesca e extração vegetal ilegal e tráfico ilegal de espécies silvestres; 3. Prevenção e detecção precoce de espécies exóticas invasoras e resposta rápida; 4. Coordenação, monitoramento e comunicação do projeto.

Inovação em PANs Territoriais para a conservação de espécies ameaçadas

O projeto Pró-Espécies: Todos contra a Extinção debateu na segunda-feira (25/3) a metodologia para a elaboração do Plano de Ação Nacional (PAN) Territorial para a Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção, trazendo à discussão o enfoque territorial conjunto para flora e fauna.

Originalmente, os PANs eram elaborados separadamente para a fauna e para a flora. Esta nova abordagem, territorial, prevê a elaboração de PANs conjuntos, onde espécies dos dois grupos que ocorrem em um determinado território serão contempladas no mesmo plano de ação. 

Saiba mais: http://bit.ly/2FFcUy6

Pró-Espécies recebe primeira Missão de Supervisão
 

Representantes do Projeto Pró-Espécies reuniram-se nos dias 26 e 27 de março para apresentar os resultados e atividades relacionados ao primeiro semestre do projeto para a agência implementadora, o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio).

Participaram da Missão de Supervisão apenas os parceiros que já assinaram os Acordos de Cooperação Técnica (ACT) e iniciaram as atividades relacionadas ao macroplanejamento da Estratégia de Conservação de Espécies Ameaçadas Pró-Espécies: Todos contra a extinção.


Saiba mais: http://bit.ly/2FF96Nn

Entre eles estão o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável de Santa Catarina (SDS-SC), Ministério do Meio Ambiente (MMA) e WWF-Brasil.

Prêmio Nacional de Biodiversidade

A 3ª edição do Prêmio Nacional da Biodiversidade acontecerá em 2020, no já consagrado Dia Internacional da Biodiversidade, 22 de maio. O prêmio tem como objetivo reconhecer o mérito de iniciativas, atividades e projetos que se destacam por buscar a melhoria do estado de conservação das espécies da fauna e flora brasileiras.

Nome científicoAechmea winkleri Reitz
Nome comum: não definido
Categoria de ameaça: Criticamente em Perigo (CR) – Portaria MMA nº 443/2014
Família: Bromeliaceae
Distribuição geográfica: Rio Grande do Sul (RS)
Ameaças: extração de não madereiras

Aechmea winkleri é endêmica do Brasil. Por ela estar presente em um único local sofre pela fragmentação do habitat. A espécie tem valor ornamental. A principal ameaça é extração de indivíduos presentes em um único local.

Fonte: Livro Vermelho da flora do Brasil / texto e organização Gustavo Martinelli, Miguel Avila Moraes; tradução Flávia Anderson, Chris Hieatt 1 ed. Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2013. pp. 323
MMA abre inscrições para cursos de educação ambiental à distância

 
Como parte da comemoração do Dia Internacional da Água, celebrado em 22 de março, o MMA oferece dois cursos a distância abordando educação ambiental e a gestão e o uso dos recursos hídricos. Ambos serão abertos ao público geral, com duas mil vagas cada um e não exigem qualificação prévia.
 
Cursos

  • Participação e Cuidado com a Água: curso voltado para jovens com carga horária de 30h
  • Educação Ambiental e Água: conteúdo relevante para educadores ambientais e atores especializados que atuam na gestão de recursos hídricos e no Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SINGREH).

Acesse no ead.mma.gov.br para inscrever-se o prazo é até 01/04/2019.

INEMA elabora planos de ação para controle e manejo de espécies exóticas invasoras

Considerando que em Unidades de Conservação, a invasão de espécies exóticas é apontada como a primeira causa de perda de biodiversidade, o INEMA por meio da Diretoria de Biodiversidade, contratou a consultora Silvia Ziller para elaborar e executar Planos de Ação para manejo das espécies exóticas invasoras da flora na Estação Ecológica do Rio Preto e no Parque Estadual da Serra do Conduru, UCs estaduais.

Dentre os objetivos desta contratação estão a elaboração do diagnóstico das espécies exóticas invasoras de ocorrência nas referidas UCs; identificar as espécies exóticas invasoras da flora prioritárias para o manejo; identificar as áreas prioritárias da UC para execução do plano; sensibilizar as comunidades do entorno das UCs sobre a importância do tema e, capacitar as equipes das UCs para o manejo das espécies.

O contrato encontra-se na fase de diagnóstico e planejamento das capacitações a serem realizadas nas duas Unidades de Conservação estaduais que devem ser realizadas no mês de maio.

A coordenadora de Biodiversidade, Sara Alves, esclarece que ainda constará como produto dessa contratação medidas preventivas e desenvolvimento de um sistema de detecção precoce e resposta rápida que terá por objetivo permitir a identificação de espécies exóticas, caso cheguem às UCs, seguida de sua imediata eliminação.

Fonte: Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado de Bahia

Links de Notícias

Você está recebendo o boletim mensal do Projeto Pró-Espécies: Todos contra a extinção. Caso queira incluir outros membros de sua organização ou cancelar o recebimento deste informe, envie uma mensagem para [email protected]

Pin It on Pinterest