Curso promove metodologia inovadora para identificar e classificar espécies exóticas invasoras

Publicado em 7 de outubro de 2020
Curso promove metodologia inovadora para identificar e classificar espécies exóticas invasoras

Por Desp/Sbio/MMA

Entre os dias 8 e 18 de setembro, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) organizou junto com a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) o curso sobre análise de risco de invasões biológicas e da metodologia Environmental Impact Classification of Alien Taxa (EICAT). Esta atividade foi financiada pelo Global Environment Facility (GEF) por meio da agência implementadora, Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) no âmbito do Projeto Pró-Espécies: Todos contra a extinção.

A metodologia EICAT foi desenvolvida pela IUCN e lançada no dia 15 de setembro de 2020 como o seu padrão global para a classificação de espécies exóticas que afetam o meio ambiente. É um método simples, objetivo e transparente que classifica os táxons exóticos em uma das cinco categorias de impacto de acordo com a magnitude dos impactos prejudiciais ao meio ambiente. Esta ferramenta foi desenvolvida para alertar cientistas, conservacionistas e formuladores de políticas públicas sobre as consequências potenciais das espécies exóticas invasoras, orientando o desenvolvimento de medidas de prevenção e mitigação.  

Kevin Smith, representante da IUCN, reiterou a importância do curso “Todos os participantes se engajaram ativamente em uma grande discussão e acho que todos nós aprendemos muito com esse processo. Estamos ansiosos para acompanhar como a EICAT será aplicada por meio do Projeto Pró-Espécies, bem como pelos demais envolvidos no curso. ”  

O curso foi organizado dentro das ações previstas para a consecução do Componente 3 - Alerta e detecção precoce de espécies exóticas invasoras do Pró-Espécies e dos objetivos da Estratégia Nacional para Espécies Exóticas Invasoras, com o intuito de apoiar o desenvolvimento do sistema brasileiro de alerta, detecção precoce e resposta rápida de espécies exóticas invasoras.   

Pantherophis guttatus é uma cobra do milho nativa do sudeste dos EUA que foi introduzida em todo o Caribe, em partes da Europa, Havaí e outros estados dos EUA. Crédito da imagem: 0payaza

Além da participação dos técnicos do MMA, também estiveram presentes representantes dos parceiros do Pró-Espécies e da Estratégia Nacional para Espécies Exóticas Invasoras que atuam no no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ), órgãos estaduais de meio ambiente, além pesquisadores, integrantes da sociedade civil, Embrapa e parceiros do Mercosul.   

O Diretor do Departamento de Espécies do Ministério do Meio Ambiente, Wagner Fisher, destacou a importância do curso: "A metodologia criada pela EICAT promoverá a melhoria da gestão das espécies exóticas invasoras no país, na medida em que classifica estas espécies de acordo com o risco que representam para o meio ambiente, etapa fundamental para o processo de priorização”.  

Essa foi a primeira equipe oficialmente treinada pela IUCN em todo o mundo na metodologia EICAT pela IUCNdemonstrando o pioneirismo e o engajamento dos membros do Pró-Espécies para execução de ações necessárias à formação da rede de alerta, detecção precoce e resposta rápida às espécies exóticas invasoras. 

Pin It on Pinterest