Base de dados e capacitação melhora licenciamento ambiental para conservação de flora ameaçada de extinção

Publicado em 17 de novembro de 2020
Base de dados e capacitação melhora licenciamento ambiental para conservação de flora ameaçada de extinção Créditos: Lucas Lopes / CNCFlora-JBRJ

JBRJ, SEAS, INEA e WWF-Brasil realizam oficina para reforçar os instrumentos de conservação

Por Mariana Gutiérrez /WWF-Brasil  

A Oficina Bases de Dados sobre a Flora Ameaçada de Extinção e o seu uso no Licenciamento Ambiental realizou a capacitação de funcionários, técnicos e colaboradores dos órgãos do estado e dos municípios fluminenses envolvidos em licenciamento ambiental. A oficina ocorreu nos dias 05 e 06 de novembro no auditório da Secretária do Ambiente e Sustentabilidade do estado de Rio de Janeiro (SEAS-RJ) e foi transmitido virtualmente pelo canal de Youtube.  

A realização da oficina foi do Centro Nacional de Conservação da Flora do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (CNCFlora/JBRJ) em parceria com o Instituto Estadual do Ambiente (INEA), SEAS-RJ e WWF-Brasil, no âmbito do Projeto Pró-Espécies: Todos contra a extinção. A atividade está no escopo da Implementação das ações do Plano de Ação Nacional para a Conservação da Flora Endêmica Ameaçada de Extinção do Estado do Rio de Janeiro (PAN da Flora Endêmica do RJ) previstas no Componente 1 - Incorporação de conservação de espécies ameaçadas em políticas setoriais do Projeto Pró-Espécies.

O objetivo da Oficina é instrumentalizar e instruir os servidores, técnicos e colaboradores dos órgãos licenciadores para a utilização e aplicação de bases de dados sobre a flora ameaçada de extinção e dos instrumentos de conservação no licenciamento ambiental.  

Capacitação de servidores no uso de dados de espécies ameaçadas de extinção. Crédito: Rafael de Oliveira Silva

O botânico e especialista do CNCFlora/JBRJ, Marcio Verdi explica sobre o uso da base de dados e a capacitação. “Os licenciadores terão um maior embasamento e subsídios para avaliar as solicitações de licenças de novos empreendimentos. Desta forma, as espécies ameaçadas de extinção serão consideradas e as funções e serviços ecossistêmicos desempenhados por elas terão maiores chances de continuarem existindo”.

A base de dados sobre flora ameaçada de extinção abrange as espécies contempladas no PAN Flora Endêmica do Rio de Janeiro, incluindo aquelas que ocorrem nos territórios Vale Paraíba (TER30) e Rio de Janeiro (TER32). Durante a oficina de capacitação foi proporcionada uma maior publicidade dos dados científicos para a sociedade. 

PAN Flora Endêmica de Rio de Janeiro

As ações de implementação do Plano de Ação Nacional para a Conservação da Flora Endêmica Ameaçada de Extinção do Estado do Rio de Janeiro (PAN da Flora Endêmica do RJ) ajudarão a conservar 513 espécies endêmicas ameaçadas de extinção. O PAN é composto por 36 ações de conservação que estão distribuídas em quatro metas temáticas (políticas públicas, manejo de espécies, pesquisas e capacitação), sendo 16 ações transversais com aplicação e interferência em todo o território e 30 ações direcionadas para nove Regiões Hidrográficas do Estado. O PAN foi construído por várias mãos que contribuíram para o alcance de um consenso sobre as ações prioritárias para conservar as espécies endêmicas ameaçadas, a partir da organização do CNCFlora/JBRJ e a sua coordenação está a cargo da SEAS-RJ.

Assista a Oficina aqui: Dia 1 | Dia 2

Em colaboração técnica com Marcio Verdi (especialista em Planos de Ação Nacionais e Territoriais no CNCFlora/JBRJ)


Pin It on Pinterest