Espécie exótica invasora de peixe é encontrada na costa brasileira e acende alerta para seus impactos na biodiversidade marinha

Publicado em 12 de agosto de 2021
Espécie exótica invasora de peixe é encontrada na costa brasileira e acende alerta para seus impactos na biodiversidade marinha Créditos: Carlos Targino

Por Rodrigo Braga/MMA 

Originário da região do Indo-Pacífico, o peixe-leão (Pterois sp.) foi introduzido pelo homem no Caribe há aproximadamente 30 anos. A expansão do seu território para o Atlântico Sul tem ocorrido desde então e países como Estados Unidos e México já registraram o avanço da espécie em suas águas litorâneas. 

No Brasil a espécie foi avistada pela primeira vez em 2014 e seis peixes-leão já foram capturados, sendo que três deles no arquipélago de Fernando de Noronha. O primeiro peixe foi capturado na ilha em dezembro do ano passado. Recentemente, em um intervalo de 8 dias, mais dois animais foram recolhidos por técnicos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para destinação e pesquisa. 

O peixe-leão é uma espécie exótica que pode causar grande impacto no ecossistema marinho brasileiro. Destacam-se como consequências da sua maior incidência a diminuição da produção pesqueira, a predação de espécies nativas e endêmicas, a redução de espécies importantes para o ambiente recifal e o risco à saúde humana, uma vez que os espinhos presentes nas nadadeiras do animal são venenosos.  

Identificação e alerta 

Como forma de identificar e alertar de forma ágil sobre o avistamento do peixe-leão no litoral brasileiro, o ICMBio disponibilizou um formulário que pode ser acessado por meio do QR code da ilustração ao lado.  

Mais uma maneira de informar sobre o avistamento é fazer o contato direto com o ICMBio de acordo com a região em foi encontrada a espécie: 

REGIÃO E-MAIL TELEFONE 
CEPNOR
(região norte)  
cepnor.pa@icmbio.gov.br  (91) 98418 8581 (91) 98724 9744 
(91) 3274 1237 
CEPENE
(região nordeste)  
cepene.formacao@icmbio.gov.br  (81) 3676 1166  
TAMAR
(região leste)  
centrotamar@icmbio.gov.br  (27) 3222 1417  
CEPSUL
(região sul)  
cepsul.sc@icmbio.gov.br  (47) 3348 6058  

Em breve, o Ministério do Meio Ambiente e o ICMBio disponibilizarão uma série de materiais que orientam sobre os perigos, a identificação, a captura, o correto manuseio, a destinação do animal e o que fazer em caso de acidente com o peixe. 

Pin It on Pinterest