IEF inicia Plano Territorial do Espinhaço Mineiro para proteção de espécies em risco

Publicado em 26 de maio de 2020
IEF inicia Plano Territorial do Espinhaço Mineiro para proteção de espécies em risco Créditos: Michel Gunther / WWF

A Oficina Preparatória do IEF tem como objetivo realizar o levantamento inicial de dados relevantes para a elaboração do PAT Espinhaço Mineiro

O Instituto Estadual de Florestas (IEF) iniciou na última terça-feira (19/5) a Oficina Preparatória para elaboração do Plano de Ação Territorial (PAT) da região conhecida como “Espinhaço Mineiro”, localizada na porção centro-leste do Estado. O projeto integra a Estratégia Nacional para Conservação de Espécies Ameaçadas (Pró-Espécies), promovido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) com recursos do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF, da sigla em inglês Global Environment Facility Trust Fund) e coordenado pelo IEF em âmbito estadual.

A Oficina Preparatória tem como objetivo realizar o levantamento inicial de dados relevantes para a elaboração do PAT Espinhaço Mineiro, com destaque para o aperfeiçoamento da abrangência geográfica, validação e complementação da lista de espécies da flora e da fauna categorizadas como “Criticamente em Perigo”, de acordo com a União Internacional pela Conservação da Natureza (UICN), e que ainda não contam com nenhum instrumento oficial de conservação no Estado. Serão estabelecidas também as principais pressões e ameaças sofridas por essas espécies no território de abrangência do projeto. 

“Por ser uma reunião preparatória e mais estratégica, optamos por trabalhar com um grupo relativamente menor, formado por cerca de 15 especialistas e pesquisadores que identificamos ter afinidade com o território analisado”, explica a diretora de Conservação e Recuperação de Ecossistemas do IEF, Daniela Souza.

Serão promovidos quatro encontros virtuais até a próxima quinta-feira (28/5), realizados com apoio da consultoria especializada Vallie, contratada pela WWF-Brasil a partir de requisitos definidos pelo IEF. A WWF-Brasil é responsável pela execução do Pró-Espécies em âmbito nacional.

Para o diretor-geral do IEF, Antônio Malard, o projeto vai de encontro às diretrizes da Instituição de buscar sempre avançar na gestão territorial do Estado, conciliando os eixos norteadores da sustentabilidade e aliando às perspectivas ambiental, social e econômica.

“O IEF foi convidado a participar do Projeto Pró-Espécies, aceitando o desafio de coordenar a elaboração e execução do PAT para o território do Espinhaço Mineiro. Acredito que este documento irá orientar as ações e contribuir enormemente para a conservação de espécies ameaçadas na região”, disse Malard.

Projeto Pró-Espécies

Coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) com apoio do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), o Projeto Pró-Espécies atua em conjunto com 13 estados do Brasil (MA, BA, PA, AM, TO, GO, SC, PR, RS, MG, SP, RJ e ES) para desenvolver estratégias de conservação em 24 territórios, cobrindo uma área total de nove milhões de hectares no país.

A iniciativa promove, por meio de integração entre União e estados, a implementação de políticas públicas capazes de alavancar ações voltadas à redução de ameaças e melhorarias do estado de conservação de pelo menos 290 espécies identificadas como “Criticamente em Perigo” e que não contam com nenhum instrumento de conservação estabelecido, categorizadas pelos responsáveis pelo projeto como CR Lacunas.

Um dos objetivos do projeto consiste na elaboração de Planos de Ação Territoriais (PATs) contemplando as espécies CR Lacunas das listas nacional e estadual de espécies ameaçadas de extinção.

Fonte: Edwaldo Cabidelli / Ascom Sisema

Pin It on Pinterest